Home / Região dos Lagos / Campanha do Sinpro Macaé e Região quer manter direitos trabalhistas dos professores

Campanha do Sinpro Macaé e Região quer manter direitos trabalhistas dos professores

Assembleia
virtual com os professores da Educação Básica de oito cidades acontece no dia
23 de maio
Diante de todas
as perdas impostas aos trabalhadores desde antes da pandemia e intensificadas
com a crise sanitária, o Sindicato dos Professores da Rede Particular de Ensino
de Macaé e Região (Sinpro Macaé e Região) decidiu manter o calendário de
mobilizações em prol dos trabalhadores. Com isso, deu início a campanha “A
vida acima do lucro: dignidade para quem ensina” que pretende recuperar
direitos sociais e econômicos dos professores. Para começar, o Sindicato, que
abrange oito cidades da região, se reúne com os profissionais da Educação
Básica, de forma virtual, no sábado, dia 23, às 10 horas. O objetivo da
campanha é valorizar a categoria, intensificar o diálogo e buscar alternativas
que parem de sacrificar a dignidade de quem mais sofre com a crise: o trabalhador.
As ações de valorização executadas pelo Sinpro Macaé e Região também vai
abranger o Ensino Superior.

A campanha já foi lançada nas redes sociais, mas as atividades começam no dia
23 de maio quando acontecerá a Assembleia Geral Ordinária (Unificada) de
Negociação Coletiva sobre o reajuste salarial e cláusulas sociais de 2020/2021
da Educação Básica. Esta reunião será realizada de forma virtual e vai contar
com professores da Educação Básica de Macaé e da Base Estendida, que engloba
mais oito municípios: Carapebus, Quissamã, Conceição de Macabu, Rio das Ostras,
Casimiro de Abreu, Silva jardim e Rio Bonito.

Segundo a presidente do Sinpro Macaé e Região, Guilhermina Rocha, a campanha
vai salientar que o foco, em qualquer momento, precisa ser a vida das pessoas.
Para ela, o capital não pode sacrificar ainda mais o trabalhador, trazendo
outras doenças por causa das pressões que as escolas exercem sobre os
professores . “O Sindicato vai continuar cobrando do governo e dos patrões
ações de proteção aos trabalhadores e trabalhadoras. A partir de agora,
iniciamos a nossa campanha para a database e ela ganha uma força ainda maior.
Sabemos que vamos enfrentar a resistência dos patrões e dos seus sindicatos,
que bem antes da crise já diziam que não tinham recursos e que a inadimplência
era muito grande. Ora, nos perguntando como isso pode acontecer? Os pais
pagaram as mensalidades até o início da pandemia”, disse ao lembrar que
desde o início dos efeitos da pandemia, o Sindicato tem buscado o diálogo como
forma de superar este momento.

Para a presidente do Sinpro Macaé e Região, a pandemia e seus efeitos só
fortaleceram a luta de classes.  “Não há como compararmos as cifras
destinadas a salvar os patrões e os bancos e àquelas destinadas aos
trabalhadores. Tentam, a todo custo, dar o ônus da crise à classe trabalhadora
com mediadas que garantem, exclusivamente, os lucros dos patrões, prejudicando,
inclusive, a saúde dos trabalhadores. O que temos assistido nos últimos anos é
a mercantilização da educação, e, consequentemente, a proliferação das escolas
particulares”.

Na assembleia de sábado, o Sindicato, no caso dos professores da Educação
Básica de Macaé, vai lutar pelo reajuste anual dos professores, uma vez que as
cláusulas sociais estão garantidas na convenção coletiva, que foi fechada
em 2019 com validade até 2021. Já para os profissionais da Base Estendida
(demais cidades), haverá negociação para a renovação das cláusulas sociais e de
novas propostas para a convenção 2020-2021.”Atualmente, os efeitos das medidas
provisórias do governo Federal nos preocupam muito. Entendemos o momento, mas
não podemos perder direitos conquistados”, ponderou a presidente.

Os professores devem ficar atentos às datas das assembleias, que por causa da
pandemia acontecerão de forma virtual. As datas serão informadas com
antecedência pelas redes oficiais do Sinpro Macaé e Região: @sinpromacaeregiao
(Facebook), @sinpromacae (Instagram) e pelo blog https://sinpromacae-regiao.blogspot.com/.

COMO PARTICIPAR DAS ASSEMBLEIAS VIRTUAIS

Os professores da Educação Básica deverão solicitar até o dia 22 de maio
(sexta -feira), às 17 horas, a inscrição para o e-mail [email protected],
informando: nome completo, CPF, identidade, telefone e instituição na qual
trabalha. Os dados a serem enviadas são os mesmos. O Sinpro enviará para o
e-mail informado um link pessoal e intransferível para a participação, que será
feita por meio do aplicativo “Zoom”.

Fonte: Rio das Ostras Jornal

Origem.