Home / Região dos Lagos / Prefeitura faz demolição de cinco imóveis de área de desabamento na Curicica

Prefeitura faz demolição de cinco imóveis de área de desabamento na Curicica

Demolição aconteceu na tarde desta segunda
 Gilvan de Souza / Agência O Dia

Residências
ficam em volta da casa que soterrou mãe e filho na comunidade da Vila Sapê
Rio – A
prefeitura fez, na tarde desta segunda-feira, a demolição de cinco imóveis que
ficam na região do desabamento
que atingiu mãe e filho na Vila Sapê, em Curicica, na Zona Oeste do Rio
.
Além da casa onde viviam Raiane Silva Martins, de 21 anos, e Nicolas Domingos
Martins, 3, outra residência de alvenaria e três barracos que ficam próximos
também foram interditados e colocados à baixo.
O desabamento
da manhã de hoje aconteceu em uma casa de três andares, soterrando mãe e
filho. Raiane
foi retirada dos escombros cerca de quatro horas depois do início do
trabalho do Corpo de Bombeiros e a criança, meia hora depois
. Ambos
passam bem.
A residência
deles se inclinou em direção à do lado, provocando rachaduras nela.
“Entrei na minha casa e vi que estava tudo rachado… o chão, rachou
a cerâmica, tudinho”, lamentou a doméstica Ivanilda Brito de Souza, de 40
anos, dona do imóvel atingido.
CHEIRO DE
GÁS
As demolições
foram feitas por cerca de 10 agentes da Defesa Civil municipal. O trabalho
começou por volta das 15h e menos de uma hora depois já tinha terminado.
Antes da
demolição ser iniciada, os moradores tiveram acesso às suas casas para retirar
objetos e pertences pessoais. Os barracos demolidos ficam atrás da casa onde
houve o desmoronamento.
“Estou sem
chão porque não tenho nem para onde ir”, desabafou Ivanilda, que morava
com o esposo, os três filhos, a nora e a neta no imóvel de dois andares
construído há apenas um ano. “As minhas coisas estão todas na rua; algumas
guardadas na casa dos vizinhos”.
Quando a
retroescavadeira usada pela Defesa Civil começou a demolir a casa da doméstica,
um gás vazou e as pessoas se assustaram, mas não houve explosão. Os moradores
acham que é o gás de alguma geladeira.
“A edificação
que desmoronou passou por vistorias, assim como outras quatro casas que ficam
no entorno. O caso foi encaminhado para a Secretaria de Conservação, para
posterior demolição. Os imóveis que estão nas laterais também foram isolados
preventivamente”, a Secretaria Municipal de Ordem Pública (Seop) disse, em
nota, antes das demolições.
A investigação
do caso está sendo feita pela 32ª DP (Taquara).
“Diligências
estão sendo realizadas. Vizinhos e testemunhas estão sendo ouvidos e foi
requisitada perícia para o local”, a Polícia Civil disse, em nota.
Por GUSTAVO RIBEIRO

Fonte: Rio das Ostras Jornal

Origem.