Home / Região dos Lagos / Suspeito de estuprar e enterrar adolescente grávida viva em praia é identificado pela polícia

Suspeito de estuprar e enterrar adolescente grávida viva em praia é identificado pela polícia


Caso aconteceu em Rio das Ostras (RJ). Agressor também é menor de idade, de acordo com a Polícia Civil. Adolescente foi enterrada na areia da Praia do Bosque, em Rio das Ostras, no RJ
Fernanda Soares/G1
O suspeito de estuprar e enterrar viva uma adolescente de 17 anos nesta terça-feira (11) em Rio das Ostras, no interior do Rio, já foi identificado pela polícia. De acordo com a Polícia Civil, o agressor tem 17 anos.
A adolescente foi enterrada na Praia do Bosque, no Centro da cidade.
O delegado Carmelo Santalucia disse que buscas estão sendo feitas para encontrar o suspeito, que foi apontado pela vítima e por uma adolescente que foi apreendida por envolvimento no caso.
Ainda segundo o delegado, a adolescente apreendida confessou que sentia ciúmes em relação a vítima e a atraiu para uma festa que estava acontecendo no Centro da cidade. Lá, elas se encontraram com o rapaz apontado como agressor.
A adolescente foi apreendida nesta terça e será apresentada ao Ministério Público na parte da tarde, onde o promotor vai avaliar se ela ficará em internação em alguma casa de custódia.
Ainda segundo a polícia, há a suspeita de que a vítima esteja grávida do namorado da jovem apreendida ou do próprio agressor.
Um exame feito no Hospital Municipal de Rio das Ostras confirmou a gravidez da jovem. A Prefeitura informou que ela deu entrada na unidade por volta das 5h30, passou por exames, foi medicada para prevenção de DSTs e o estado de saúde dela é estável.
A mãe da vítima contou que a jovem apreendida era uma amiga da filha dela e frequentava a casa delas.
“Ela chegou lá por volta das 23h e chamou minha filha pra sair. Eu disse que era melhor não porque já tava tarde e elas ficaram conversando na varanda. Depois eu dormi, por volta de meia-noite, acordei assustada com a menina gritando o nome da minha filha no portão por volta das 4h”, contou a mãe.
A mãe disse ainda que atendeu a amiga no portão, a adolescente disse que a vítima tinha ido ajudar um rapaz que pediu ajuda na rua mas não soube explicar que tipo de ajuda nem quem era o rapaz.
A mãe contou também que a filha ainda está abalada com a situação, falando pouco e com o rosto inchado por causa das agressões.
“Eu to esperando ela se recuperar um pouquinho mais. Ainda tá muito inchada. Hoje ela tá um pouco melhor, conseguiu comer”, contou a mãe.
Veja outras notícias da região no G1 Região dos Lagos.

Fonte: G1 (Região dos Lagos)

Origem.