Home / Região dos Lagos / Ação conjunta da Prefeitura, Capitania dos Portos e PM retomam área pública usada irregularmente

Ação conjunta da Prefeitura, Capitania dos Portos e PM retomam área pública usada irregularmente

Ação para
retirada de barcos que ocupavam irregularmente área da
Prefeitura,
em Boca da Barra, foi realizada na terça. Foram retirados muitos
 entulhos que ocupavam a área pública em Boca
da Barra. Prédio anexo ao
 principal será ocupado pelos guardas
ambientais para monitoramento da área.
Foto:
Gabriel Sales

Quatro
caminhões de entulhos foram retirados do local no horário da manhã e
encaminhados para o aterro sanitário, mas a ação não terminou.
Uma ação para
retirada das 12 embarcações que ocupavam irregularmente uma área da Prefeitura,
em Boca da Barra, originalmente designada para funcionar como entreposto de pesca,
foi realizada na terça-feira, dia 21. Participaram da ação a Capitania dos Portos,
Polícia Militar, Guarda Municipal, Coordenadoria de Defesa Ambiental (CDA),
fiscais, técnicos e equipe de limpeza da Secretaria de Meio Ambiente,
Agricultura e Pesca.
A notificação
publicada no Jornal Oficial, em 5 de abril, dava o prazo de 45 dias para os
proprietários retirarem os barcos do local, que estava sendo usado
irregularmente como estaleiro e depósito de materiais. Quando a ação teve
início, na manhã da terça-feira, oito embarcações já não estavam no
local. Os proprietários dos quatro barcos restantes pediram um prazo maior
e terão 48 horas para desocupar a área que pertence à Prefeitura.
Quatro
caminhões de entulhos foram retirados do local no horário da manhã e
encaminhados para o aterro sanitário, mas a ação não terminou. O prédio anexo ao
principal será ocupado pelos guardas ambientais do CDA permanentemente, para
monitoramento da área. A atividade irregular do estaleiro estava impactando o
rio e a vegetação do entorno.
Nos próximos
dias, equipes de limpeza vão continuar trabalhando no local, inclusive com a
capina do terreno.  A Prefeitura ainda vai definir como será usada essa
área pública, destinado para funcionar como entreposto, com descarregamento,
armazenamento e comercialização do pescado, que não chegou a ser inaugurado.

Fonte: Rio das Ostras Jornal

Origem.