Home / Noroeste Fluminense / Petição online recolhe assinaturas pelo retorno da ambulância no quartel de Itaocara

Petição online recolhe assinaturas pelo retorno da ambulância no quartel de Itaocara

Viatura que servia como ambulância deu defeito em novembro do ano passado e foi retirada do quartel
Quartel está sem ambulância desde novembro do ano passado (Foto: Arquivo/ Folha Itaocarense)

    Responsável pelo atendimento em cinco municípios, o quartel do Corpo de Bombeiros em Itaocara está sem ambulância há quatro meses. O problema começou em novembro do ano passado e, mesmo diante dos pedidos de moradores, o Corpo de Bombeiros não tem cedido e mantém o quartel sem ambulância, alegando não ser responsabilidade da corporação a prestação de atendimento pré-hospitalar. Para pressionar o atual governo do estado, uma petição online foi criada. Somente no fim de semana, mais de 180 internautas assinaram a petição.

   As petições onlines não têm valor jurídico, mas reforçam as pressões populares. No caso dessa, que pede o retorno de uma ambulância no quartel de Itaocara, enfatiza o apelo popular, ao mesmo tempo que o formaliza.
   “[…] exigimos que o governo do estado respeite a população destes municípios e retorne o quanto antes a viatura retirada do quartel. Vale lembrar que existem vidas em perigo por conta desta atitude irresponsável dos órgãos competentes e que municípios onde os quartéis atendem uma área bem menor contam com a viatura solicitada, exemplos de Cambuci, Pádua, São Fidélis e Cantagalo.”, diz trecho da descrição da petição, criada por Maycon Omecias, morador da cidade que já fez outras solicitações pelo retorno da ambulância.

   Para ver todos os detalhes da petição e assiná-la, acesse o link: secure.avaaz.org.

   O quartel de Itaocara é responsável pelo atendimento em cinco municípios: Aperibé (todo o município), Cambuci (distrito de Funil), Itaocara (quase todo o município, exceto Portela), São Fidélis (parte de Cambiasca) e São Sebastião do Alto (quase todo o município, exceto a Sede). Cerca de 40 mil pessoas residem na circunscrição do quartel.
Quartel de Itaocara chegou a contar com três viaturas em 2015 (Foto: Arquivo/ Folha Itaocarense)
    Em 2015, o quartel de Itaocara contava com três viaturas: ABS (caminhão tanque para apagar incêndios), AR (caminhonete que dava suporte a ocorrências complexas) e ATE (viatura similar a uma ambulância). Até novembro do ano passado, o Corpo de Bombeiros mantinha pelo menos a ABS e a ATE no quartel de Itaocara. No entanto, a viatura do tipo ATE foi retirada do quartel em novembro passado após um defeito, e jamais retornou.
   Desde então, o atendimento pré-hospitalar tem sido prejudicado. Em caso de ocorrências com vítimas, os solicitantes ou os bombeiros precisam acionar os hospitais. O tempo gasto com as novas solicitações geram pequenos atrasos. Outro problema é que nem sempre há ambulâncias disponíveis nos hospitais devido à demanda, e as vítimas chegam a esperar por 20 minutos ou mais para serem levadas até uma unidade de saúde.
   O Corpo de Bombeiros alega que não é de responsabilidade da corporação o atendimento pré-hospitalar, conforme a legislação vigente. “No caso específico, o Corpo de Bombeiros acaba dando um suporte ao serviço, mas não se trata de uma obrigação legal”, diz parte da nota enviada à Folha Itaocarense em novembro do ano passado.
   No entanto, em janeiro deste ano, o CBMERJ adquiriu 30 novas ambulâncias para atendimento pré-hospitalares e ocorrências neonatais. Na ocasião, a Assessoria de Imprensa do CBMERJ informou que não havia previsão de ambulâncias para o quartel de Itaocara e voltou a dizer, por meio de nota, que não é obrigação da corporação os atendimentos pré-hospitalares.
   Os atendimentos pré-hospitalares continuam sendo prestados normalmente pelo Corpo de Bombeiros em outros quartéis da região, como em Cambuci, Santo Antônio de Pádua  e São Fidélis.
Veja também: 
Fonte: Folha Itaocarense

Origem.