Home / Região dos Lagos / Ex-jogador do Botafogo procura irmão que desapareceu em outubro em Macaé; ‘minha mãe está muito aflita’

Ex-jogador do Botafogo procura irmão que desapareceu em outubro em Macaé; ‘minha mãe está muito aflita’

Joílson está
com 33 anos e tem uma filha de 9 anos.
Foto:
Joílson Moreira/ Arquivo Pessoal

Joílson
Moreira, de 33 anos, jogou no Macaé Esporte e atualmente trabalha em
plataforma. Ele desapareceu no dia 26 de outubro em Macaé. Polícia Civil pede
quebra de sigilo telefônico e bancário.
O ex-jogador do
Botafogo, Marcos Moreira, está procurando pelo irmão Joílson Moreira, de 33
anos, que jogou no Macaé Esporte e atualmente trabalha em uma plataforma na
Bacia de Campos. Ele desapareceu no dia 26 de outubro em Macaé (RJ). A Polícia
Civil pediu a quebra do sigilo telefônico e bancário de Joílson.
“A gente
só quer uma resposta, só quer saber o que aconteceu, a pior coisa é a aflição.
Minha mãe está muito aflita. Ela fala pra mim que está muita angustiada. Pra
ela está sendo muito difícil não ter nenhuma pista, por não saber o que
aconteceu”, contou Marcos ao G1.
Segundo Marcos,
a última notícia que a família tem do irmão é do dia 25 de outubro, quando ele
foi almoçar na casa da mãe, depois entrou no carro e saiu para encontrar a
namorada no apartamento em que morava.
“Ele
brincou aqui com o irmão, depois ficou com a gente aqui e foi embora pra casa
de carro”, disse a mãe de Joílson, Helena da Graça em entrevista à equipe
da Inter TV sobre a última vez que esteve com o filho.
Dona Helena
conta que está sofrendo muito com o
desaparecimento
do filho que aconteceu em Macaé
 Foto: Reprodução/ Inter TV
Marcos conta
que após o desaparecimento, ele e a namorada do irmão foram até o apartamento dele
e encontraram o local como Joílson tinha deixado. Apenas o carro não estava na
garagem. Ele também conta que o celular dele só dá sinal de desligado.
“Nós só
queremos alguma resposta. Se está vivo ou morto, se vai voltar pra casa. Se
aconteceu alguma coisa ou se ele está precisando de ajuda”, contou ainda
Marcos.
Dona Helena
também contou que o desaparecimento está sendo difícil para a neta de 9 anos,
filha de Joílson. Ela disse que a menina chora muito a falta do pai.
“Ela chora
na escola, em casa quando lembra do pai e vê fotos dele”, contou dona
Helena da Graça.
Investigações
A família
registrou o caso na 123ª Delegacia Policial em Macaé, após ficar 24h sem
notícias. Segundo o delegado Filipe Poyes, responsável pelas investigações,
duas testemunhas foram ouvidas, a namorada e o irmão de Joílson, mas os
depoimentos não acrescentaram novidades aos trabalhos.
O delegado
também falou sobre a quebra do sigilo telefônico e bancário de Joílson.
Clube de
Macaé, RJ, mostrou solidariedade nas
 redes sociais — Foto: Reprodução/ Redes
Sociais
“Nós
pedimos a quebra do sigilo de dados bancários e telefone. Estamos agora
esperando o retorno do inquérito que está na Justiça para que possamos dar
prosseguimento”, disse Filipe Poyes.
Marcos revelou
que a família fez buscas por conta própria em hospitais, clínicas e no IML e
que eles também rastrearam a conta bancária dele, mas que não houve nenhuma
movimentação no período.
“Porque
alguma coisa aconteceu, não tem como uma pessoa desaparecer sem dinheiro, sem
mexer no dinheiro, não tem como”, disse a irmã de Joílson, Fabiana Moreira
à equipe da Inter TV.
Solidariedade
Nas redes
sociais, o Macaé Esporte mostrou solidariedade com o ex-atleta desaparecido e
também com Marcos, conhecido como Marquinhos, que jogou em 2016 no Botafogo e
atualmente atua no clube do Norte Fluminense.
“A
preocupação é palavra que prevalece para os familiares do meia
Marquinhos”, disse o clube em nota.
*Estagiária
sob supervisão de Franklin Vogas
Por Larissa Vilarinho *, G1 e RJ2 
Região dos Lagos

Fonte: Rio das Ostras Jornal

Origem.