Home / Região dos Lagos / Pré-adolescentes de 11 e 12 anos moradoras de Rio das Ostras são mortas a tiros em Rio Dourado

Pré-adolescentes de 11 e 12 anos moradoras de Rio das Ostras são mortas a tiros em Rio Dourado

A delegada Juliana Rattes, responsável pelo caso, informou que
 nenhuma linha de investigação sobre o caso está sendo descartada.
Fotos Whats App ROJORNAL

Corpos foram
encontrados em um local de difícil acesso; Polícia acredita em execução.
Duas amigas de
11 e 12 anos foram mortas a tiros em Casimiro de Abreu, no interior do Rio. Os
corpos das meninas foram encontrados na manhã desta quinta-feira (8) na Estrada
Secundária, no distrito de Rio Dourado, por moradores que acionaram a polícia.
Uma das vítimas
foi atingida por três tiros e a outra por dois disparos. A Polícia acredita que
o crime tenha sido uma execução.
De acordo com a
Polícia, as investigações apontam que elas foram levadas para o local de
difícil acesso para serem mortas. No local, foram encontrados projéteis de arma
de fogo deflagrados. O caso é investigado na 121ª Delegacia Policial.
A delegada
Juliana Rattes, responsável pelo caso, informou que nenhuma linha de
investigação sobre o caso está sendo descartada.
“Estamos
investigando um possível envolvimento das vítimas com o tráfico de drogas e
existe também uma outra suspeita, mas que não podemos divulgar agora, porque
pode atrapalhar a investigação”, disse a delegada Juliana Rattes.
Ainda de acordo
com a delegada, o namorado de uma das vítimas foi morto a poucos dias no bairro
Palmital, também em Rio das Ostras.
As famílias das
vítimas já foram ouvidas e informaram que as meninas saíram de casa na noite
desta quarta-feira (7) e não retornaram.
“Ambas as
famílias souberam nesta quarta que duas meninas tinham sido encontradas mortas
em Casimiro e foram até o local e confirmaram que eram suas filhas”, disse
ainda Juliana.
A perícia foi
realizada no local e os corpos foram encaminhados para o Instituto Médico Legal
(IML) de Macaé. As vítimas moravam na Cidade Praiana, em Rio das Ostras.
Por Larissa Vilarinho*, G1
* sob
supervisão de Franklin Vogas.

Fonte: Rio das Ostras Jornal

Origem.