Home / Região dos Lagos / Vereador Neném da Barbearia denuncia compra de votos na Câmara de Casimiro de Abreu

Vereador Neném da Barbearia denuncia compra de votos na Câmara de Casimiro de Abreu

De acordo com o depoimento do vereador da Neném da Barbearia, no início
do mês de abril de 2018 ele foi procurado pelo vereador Bruno Miranda
 para que “conversassem” sobre a votação da aprovação das contas
 do ex-prefeito Antônio Marcos. Fotos Angel Morote / Arte ROJORNAL

Presidente da Casa, Rafael Jardim; o vereador Bruno Miranda; o
prefeito, Paulo Dames; e mais dois empresários estariam envolvidos, segundo
provas levadas ao Ministério Público
Nesta sexta-feira, dia 13, o vereador, Leilson Ribeiro da Silva (MDB),
conhecido como Neném da Barbearia, denunciou à Promotoria de Justiça do
Ministério Público do Rio de Janeiro, os vereadores de Casimiro de Abreu,
Rafael Jardim e Bruno Miranda, ambos do PSB, sob a acusação de tentarem
comparar o voto do parlamentar na votação das contas do ex-prefeito, Antônio
Marcos. Os parlamentares queriam que Neném fosse contrário a aprovação das
contas, no intuito deixar o ex-prefeito inelegível por 8 anos. A denúncia conta
com mais de duas páginas e nelas Neném detalha as irregularidades dos
parlamentares no depoimento e apresenta áudios.
De acordo com o depoimento do vereador da Neném da Barbearia, no
início do mês de abril de 2018 ele foi procurado pelo vereador Bruno Miranda
para que “conversassem” sobre a votação da aprovação das contas do ex-prefeito
Antônio Marcos, que estava prestes a ser votado, e que gostariam de obter o seu
voto na desaprovação das contas do adversário político. Em troca receberia
valores e cargos do atual Prefeito Paulo Dames.
A denúncia aponta ainda um novo encontro com Bruno Miranda,
aproximadamente uma semana antes da votação do dia 11/04/2018, e se deu na
residência do vereador Neném, no bairro Palmital. Neste encontro, o também vereador
Bruno Miranda afirmou que “já teria R$ 50.000,00 (cinquenta mil reais) para que
o parlamentar não comparecesse a sessão de votação, que também poderia , ainda,
conversar com o Prefeito Paulo Dames, para conseguisse cargos junto à
administração municipal. Conforme consta nos documentos, na insistência de
obter o voto contrário, Bruno afirmou que a proposta poderia chegar a uns R$
70.000,00 (setenta mil reais).
No depoimento ao Ministério Público, o vereador disse ainda que o
presidente da Casa Legislativa, Rafael Jardim, foi conivente com o ato,
afirmando que o Prefeito já teria 50 cargos para dar ao vereador Neném em troca
do seu apoio e, por isso, este seria o momento de Neném “dar a volta por cima”
e ficar bem no seu bairro.
NOVA INVESTIDA
Segundo a denúncia, numa investida final pela compra de seu apoio na
votação, aconteceu um encontro com o empresário Wendel Veloso conhecido como
“Careca do Gás”, dono da W.W. Casimirense. “Careca” teria ligado para o
vereador Neném na véspera da votação, dia 10/04/2018, lhe oferecendo uma carona
para vir de Palmital para a sede do Município de Casimiro, já que aconteceria
sessão na Câmara naquele dia.
Na ocasião, “Careca” teria conversado com uma terceira pessoa e, em
seguida, se dirigiu a Neném tocando no assunto sobre a compra de seu voto para
a reprovação das contas do ex-prefeito. “Careca” teria dito que ele
afirmou que estava ali em nome do prefeito Paulo Dames, e que estava fazendo
aquilo devido ao momento político, oferecendo-lhe R$ 100.000,00 (cem mil reais)
e que esse valor seria acertado por ele e um outro empresário da cidade, de
nome Fenando.
DINHEIRO EM ESPECIE
A narrativa continua e afirma que Neném seria levado ao encontro de
Paulo Dames no apartamento deste, em Niterói. Lá seria entregue o dinheiro em
espécie, caso o acordo fosse aceito. Já no quase no final do trajeto, o
empresário do gás disse que seria a hora do declarante melhorar politicamente
com o atual prefeito e perguntou se aceitaria a oferta. Neste momento, o
vereador Neném disse que não aceitaria e que manteria sua opção de voto
favorável à aprovação das contas do ex-prefeito Antônio Marcos.
A narrativa continua e afirma que Neném seria levado ao encontro
 de Paulo Dames no apartamento deste, em Niterói. Lá seria entregue
 o dinheiro em espécie, caso o acordo fosse aceito. Foto Divulgação
Já em Casimiro de Abreu, encontraram o vereador Rafael Jardim e o
mesmo teria perguntado novamente se Neném teria aceitado a proposta de Careca,
tendo o parlamentar dito que não, concluindo que se não aceitasse outro
vereador aceitaria.
No dia da votação, Neném da Barbearia votou pela aprovação das contas
do ex-prefeito Antônio Marcos, e como consequência, após a votação, o vereador
passou a ser perseguido politicamente e a não ter seus pedidos e indicações
atendidos pelo Executivo.
O vereador Neném entregou ao Ministério publico um Pen-Drive contendo
05 arquivos de áudio, afirmando que nestes áudios há a comprovação das suas
conversas narradas acima. Disse ainda que está certo de que as propostas feitas
pelos vereadores Bruno Miranda e Rafael Jardim, bem como pelo empresário Careca
do Gás, foram feitas a mando do atual prefeito, Paulo Dames, com a sua
permissão e ciência.
Ao formalizar a denúncia, Neném da Barbearia (MDB) se colocou à
disposição do Ministério Público para a confirmação dos fatos e qualquer outra
informação que se faça necessária.
“Amigos e amigas. Hoje tomei a decisão de fazer valer cada voto a mim
depositado, neste meu primeiro mandato. Por este motivo hoje vim ao Ministério
Público e abri uma denúncia contra alguns vereadores do atual Poder
Legislativo, que tentaram comprar meu voto na análise da prestação de contas do
prefeito anterior, Antônio Marcos. Não aceito e não aceitarei chantagem, corrupção,
pois sou um homem de palavra, e já mostrei isso na posse, votando para
presidente em um vereador do grupo que foi eleito unido e se desfez. Uma coisa
que sempre farei é poder andar de cabeça erguida, onde for, e representar
honestamente os eleitores que me confiaram seu voto. Aguardem novas notícias,
que vão movimentar e mostrar a verdadeira cara do legislativo”, Neném da
Barbearia.
Os envolvidos na denuncia vereadores, Rafael Jardim e Bruno Miranda,
foram procurados para que se manifestem sobre o caso, mas não foram achados.

Fonte: Rio das Ostras Jornal

Origem.